Disney ICP

Que tal ter o Mickey como chefe?

O Disney International College Program é um programa que a Walt Disney Company faz para estudantes universitários que queiram trabalhar em uma empresa do porte deles, que tenha filosofia e disciplina como a que os torna legendários.
O programa abrange vários países e funciona de maneira diferente dependendo da proveniência do participante. Para nós brasileiros, ele é sempre do meados de novembro a meados de fevereiro por causa das nossas férias de verão.
Eles disponibilizam casa e transporte e você vai trabalhar nos dentro do complexo do Walt Disney World em Orlando, Flórida. Quando eu digo complexo, quero dizer que sua work location será em algum dos quatro parques temáticos ou nos dois parques aquáticos ou em algum dos 30 resorts ou no Disney Springs.


​Além do trabalho, o programa promove vários eventos de integração, como bailes, jantares temáticos para comemoração de alguma data especial, formatura, etc. Eles têm um jornal mensal que traz informativos de tudo que irá acontecer naquele mês. E como se não fosse suficiente, existe uma espécie de clube de campo disponível para os participantes, chamado Mickey’s Retreat.
E claro, a melhor parte de todas, entrada livre para os parques a qualquer hora desde que você não esteja trabalhando. E o maravilhoso desconto para cast members em mercadorias que pode chegar a ser de até 40%. Se você quiser conferir o site deles, pode clicar aqui.

O processo seletivo

Aqui no Brasil o processo seletivo não é feito diretamente com a Disney. Eles tem pareceria com a STB, uma agência de turismo que trabalha com este tipo de intercâmbio. O processo é lento mas vale a pena no final das contas.
Antes de começarmos a falar dele vou listar os pré-requisitos mais importantes para ver se você se encaixa. É preciso ter 18 anos, inglês fluente, ser estudante do ensino superior, estar matriculado num curso que seja regulamentado pelo MEC, ter disponibilidade de pagar a passagem, as duas primeiras semanas de acomodação e o visto (tenha em mente que trabalhando lá, se você for econômico e trabalhar por volta de 45h por semana, conseguirá juntar de voltar tudo aquilo que investiu no programa).
O processo tem início todo começo de ano. A primeira coisa a se fazer é a inscrição no site da STB. Assim você poderá receber as informações sobre as palestras e outras coisas relacionadas ao processo. As duas fases são muito parecidas, elas são compostas por uma palestra sobre o programa e uma entrevista. A palestra é primeiro e nela você tirará uma senha para a sua entrevista.
Por volta do fim de abril você deverá saber das datas e localidades da primeira fase. Ela acontecerá em maio/ junho. Esta fase é realizada pela STB e acontece em algumas localidades no Brasil (todas sempre definidas ano a ano de acordo com a procura). Na palestra eles falam sobre o programa e tudo que deve-se esperar ou não dele. Praticamente tudo o que a maioria já sabia pois leu por aí na internet ou conhece alguém que foi.


Dica: chegue cedo. A primeira fase principalmente, é muito lotada e muitas pessoas resolvem ir de última hora então a organização não tem um controle de quantos candidatos esperar. Eles dão preferência de lugar nas palestras para quem mora mais longe do local onde está sendo realizado o evento. Também estas pessoas podem fazer a entrevista mais cedo do que as outras. A lógica é quanto mais perto do local você morar, mais tempo pode esperar ali para ser atendido. Me refiro a pessoas que morem fora da cidade, estado ou até mesmo país em que está sendo realizada a seleção. Se é seu caso, faça questão de frisar isto para um dos agentes da STB.
A entrevista é feita pelo pessoal da organização e é inteirinha em inglês. De maneira genérica, eles irão perguntar o motivo pelo qual você quer ir, se já morou sozinho ou se tem algum problema em morar/ conviver com outras culturas, com o que você quer trabalhar no programa e pedir para falar um pouco sobre sua vida.
Dica: nervosismo é normal. Eles estão ali para avaliar seu nível de inglês e sua maturidade para assumir um programa como este, então mesmo nevoso coloque-se na conversa. Não deixe de falar ou tentar, são cinco minutos que você têm para fazer sua imagem e garantir o seu bilhete dourado para a próxima fase.
Depois disto é preciso esperar por volta de um mês ou pouco mais. Você recebe o resultado no e-mail. Pode ter sido aprovado, ficar em stand by ou não passar. Os aprovados receberão um link para um application online da Disney, onde realmente se incia o processo seletivo oficial do programa. Lá você preencherá seus dados, dados da faculdade, responderá a algumas perguntas pessoais, etc.


Na primeira fase já é informado a data da segunda, que acontece em agosto. Nesta fase apenas quem foi aprovado na primeira participa (quase 1/8 de todos os participantes da primeira). Esta fase é organizada e realizada pelos recrutadores da Disney. Acontece geralmente em apenas uma localidade e o esquema é o mesmo em relação ao horário das entrevistas. A palestra falará mais sobre a Walt Disney Company e se aprofundará ainda mais no que você espera do programa e o que o programa espera de você.
​A entrevista é mais voltada para o seu role, mas mesmo assim o recrutador vai querer saber de você. Eles são bem amigáveis e querem mesmo te conhecer para encontrar o melhor lugar para você no programa. O corte desta fase é menor, então isto já um motivo a menos para você ter medo.
Depois é esperar pelo e-mail com a confirmação. Quando ele chega é só alegria. Daí até o embarque são burocracias que a Disney envia por e-mail e você corre atrás. Tira o visto e embarca para a melhor experiência da sua vida.

Roles

Trabalhar na Disney não é um trabalho como qualquer outro. Aquilo é um espetáculo que acontece todos os dias a todas as horas. O funcionários são chamados de cast members (do inglês, membros do elenco) e cada um tem o seu role (do inglês, papel). O programa oferece uma variedade de oportunidades de trabalho. Todas recebem o mesmo salário e praticamente estão presente em todas as work locations.



Você pode conferir todas as que o programa oferece clicando aqui. Lembre-se que os brasileiros só podem participar no Walt Disney World, então nem adianta olhar o que fica na coluna da Disneyland.
Nem tudo é aberto para todos os anos. Os disponíveis serão informados na segunda palestra. Porém estes aqui abrem sempre pois tem demanda alta – Merchandise, Custodial, Quick-Service Food & Beverage, Attractions e Character Performer (para personagens de pelúcia).

Housing

O programa disponibiliza aos participantes (principalmente ao internacionais como nós, brasileiros) moradia. Ela custa em torno de US$98,00-US$116,00 por semana. Este valor varia de acordo com o tanto de pessoas no apartamento/ quarto, o condomínio e o quão recente foi feita reforma no local.
Parece ser muito dinheiro mas no programa você deve trabalhar pelo menos 30h semanais, o suficiente para pagar o Housing, fazer uma compra boa pra semana de supermercado e sobrar um trocado pra gastar por aí.


O valor não é apenas para a moradia, ele engloba muitos outros benefícios. Os condomínios dispõem de segurança 24h, academia, quadras de esportes, recepção (para correio, problemas, etc.), piscina, área verde como espaço para aproveitar o dia lá fora e eles até alugam materiais esportivos como raquetes, bolas, etc. Também temos as festas mensais, o escritório com recursos humanos que funciona nos dias úteis disponível para te ajudar com praticamente tudo (até conselho de carreia dentro ou fora da Disney) e as oito linhas de ônibus que o programa tem exclusivo que te levam para o trabalho e praticamente para qualquer ponto dentro do complexo, para o supermercado e o shopping.


As casas já vem mobiliadas, todo integrante independente do local onde fique tem direito a cozinha, sala de estar e sala de jantar completas e compartilhadas com os outros membros da casa, uma cama, uma penteadeira/ cômoda, criado-mudo, cofre e um closet e banheiro completo compartilhado com os outros integrantes do quarto. Os quartos podem acomodar duas ou três pessoas. E os apartamentos podem ser de 2 a 10 pessoas. Os moradores são separados por gênero e por maior idade (no caso, 21 anos).
Antes do início do seu programa, o Housing disponibiliza a possibilidade de colocar suas preferências, eles podem ou não atendê-las,mas geralmente as atendem. Pode-se escolher também roommates ou dizer que é aventureiro e que quer conhecer pessoas novas.

Gabi como Cast Member

Eu fui cast member em 2015/2016. Meu role foi merchandising e eu trabalhei no maior parque, o Magic Kingdom. Morei em duas casas e em condomínios diferentes e foi a melhor experiência da minha vida (até agora, pelo menos). Mas calma aí, vamos por partes.
Eu já havia ouvido sobre o programa antes mesmo de ter sido au pair. Claro que tinha ficado enlouquecida e já sabia que o faria. Faltavam só duas coisinhas fundamentais, o inglês fluente e a faculdade. Uma vez que resolvido o problema eu me inscrevi. Enquanto esperava pelas datas das primeiras palestras eu assisti milhares de vlogs no YouTube. Montei meu currículo em inglês, fiz a minha carta de apresentação e comecei a conversar com o espelho como se estivesse já sendo entrevistada.


Depois de quatro longos meses de processo seletivo chegou o e-mail mais esperado de todos. Quando eu li congratulations no assunto já comecei a surtar. Depois disso foi me preparar com um pesadelo de burocracias, para viver aquele sonho.
Eu escolhi meu role pois eu sabia que queria poder trabalhar em diferentes work locations. Não pedi para cair em lugar nenhum (algumas pessoas mencionaram na entrevista com os recrutadores da Disney onde gostariam de trabalhar) e fui parar bem de frente para o majestoso Castelo da Cinderela. Trabalhava nas lojas de entrada do parque e com aluguel de carrinhos de criança, cadeira de rodas e armários.


Quando fiz a papelada do housing me coloquei como aventureira para pegar roommates que não conhecia e de outras nacionalidades. Minha primeira casa foi no Chatham Square e depois fui realocada para o Vista Way. Tive algumas roommates muito loucas e que me deixaram maluca algumas vezes e outras que eu tive vontade de trazer para casa comigo. Entrei numa dieta de ovo cozido e mac n’cheese, porque estava trabalhando tanto que não tinha tempo de ir explorar a cozinha e o Walmart.
Participei de todos os eventos do programa, fui muito muito muito aos parques, trabalhei até as 8h da manhã, fiz turnos de 16h, abracei todos os personagens que sempre amei, vi o ano novo nascer entre os inacreditáveis fogos de artifício que me fizeram esquecer que estava trabalhando, troquei o dia pela noite e vi a como a magia é reinstalada nos parques, conheci tudo pelo avesso e passei a admirar ainda mais a filosofia de vida que os Disney tinham e conheci pessoas que mudaram o sentido de muitas coisas para mim.




Walt disse que era preciso uma pessoa para sonhar, mas de muitas para tornar este realidade. E foi isso que eu tirei deste intercâmbio, apesar de estar dentro do lugar mais feliz do mundo e espalhando a mágica e pixie dust, sem os amigos que fiz nada disso teria feito sentido ou me impactado como impactou. Parece besteira mas o ICP me ensinou a aproveitar mais a vida, os momentos e as pessoas que temos no caminho para compartilhar as emoções.
Dica: faça o programa! Se o seu inglês não foi suficiente, vá aprender; se não tiver dinheiro, economize; não deixe nenhuma desculpa tirar esta oportunidade do seu horizonte. Se você já está no processo seletivo não tenha medo de falhar, Walt Disney faliu inúmeras vezes antes de ser bem sucedido. Tudo o que você precisa é um pouco de fé e pixie dust.

Postagens mais visitadas

Imagem

Buenos Aires

Imagem

Cidade do Panamá

Imagem

Mondevidéu

Imagem

EPCOT

Imagem

Santiago

Imagem

New Orleans, LA

Imagem

New York, NY